sábado, 6 de maio de 2017

Revolução Institucional, conciliando curvas...

A ideia do autor sobre a REVOLUÇÃO INSTITUCIONAL gravita em torno de dois pontos de extrema importância: 1) suprimir o Federalismo oligárquico e quase formal que existe no Brasil, por um Estado Unitário descentralizado administrativa e politicamente; e 2) acabar com o Presidencialismo de coalizão, que privilegia arranjos partidários (leia-se, apoio legislativo), por um Governo Diretorial impessoal e estritamente técnico – encabeçado por especialistas e não por políticos.

sábado, 23 de janeiro de 2016

Revolução Institucional, metas a cumprir...

O leitor que tomou conhecimento de tudo quanto é proposto na REVOLUÇÃO INSTITUCIONAL, desde o primeiro artigo (Revolução Institucional, uma proposta...) até o mais recente publicado (Revolução Institucional, utopia...), pode vir a se perguntar como seria possível adotar tais ações na prática.

terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Revolução Institucional, uma utopia...

Caros leitores, neste novo artigo da REVOLUÇÃO INSTITUCIONAL o autor procurará fazer uma síntese da atual conjuntura sociopolítica nacional – onde, em decorrência das atuais crises política e econômica, estamos sucessivamente nos acusando, esquecendo-se que antes de sermos de direita ou de esquerda, somos...

Brasileiros.


segunda-feira, 2 de março de 2015

Revolução Institucional, pleno emprego...

Neste novo artigo da REVOLUÇÃO INSTITUCIONAL, trataremos de uma questão muito importante – que o autor acredita até ser tão importante quanto todas as questões já abordadas até aqui (incluindo a valorização da cultura nacional, defesa do meio ambiente, reforma das instituições de Estado e outras): o pleno emprego e, principalmente, a liberdade sindical.

domingo, 26 de outubro de 2014

Revolução Institucional, nosso ambiente...

Atualizado em 30/10/2015

Grosso modo, basta-nos dizer simplesmente que poluição é todo ato que degrada nosso meio ambiente – independente do aspecto analisado. Seja o ar que respiramos, as ruas por onde circulamos, a água que bebemos ou a energia que usamos – tudo o que causa algum tipo de dano pode ser, sem risco de injustiça, considerado poluição.